Resumo da Sessão do Dia 06 de agosto de 2018

Na sessão do dia 06 de agosto de 2018 a tribuna cidadã foi ocupada pelo líder do Movimento “Fora Peixoto”, Rodrigo Rodrigues, que disse que estava com o sentimento de desalento com a classe política, sobretudo, com a situação de Itacoatiara. Falou que a crise não é financeira, pois estão chegando recursos para o município.
Citou algumas falhas da atual administração, como os buracos nas ruas da cidade, a falta de licitação para o serviço de limpeza pública, cabide de emprego e acusou a Câmara de não estar fazendo nada, de não se posicionar sobre os assuntos. Cobrou do vereador Richardson, o caso da CPI das compras do Hospital durante a Gestão do Secretário de Saúde Bras.
Depois ele leu o requerimento que apresentou ao presidente Bosco Rodrigues, solicitando algumas informações, sobre a arrecadação do município, dentre outros.

– O vereador Alcimar Filho disse que seria bom se todas as sessões tivessem bastante gente como nessa segunda feira, dia 06 de agosto. A respeito dos pedidos feitos pelo senhor Rodrigo Rodrigues, adiantou que não tinha nenhuma dúvida que o presidente Bosco Rodrigues atenderia a todos, de acordo com aquilo que é de competência da Câmara.

– O vereador Marcos Rodrigues ponderou e pediu calma, a fim de evitar que sejam feitas acusações infundadas e disse acreditar que tudo deverá ser apurado, para que seja dada respostas a população.

– O vereador Joanilson Mendes disse que se preocupa porque nosso Brasil é conhecido como um país democrático, mas que isso precisa ser tratado com responsabilidade, caso contrário, qualquer pessoa que não concorde politicamente com alguém vai pedir a sua saída.
Enfatizou que o senhor Rodrigo Rodrigues teria criado esse movimento, porque foi exonerado justamente porque não produzia nada.
Joanilson argumentou que Itacoatiara tem cerca de 100 mil habitantes e quantos, desse total, estariam a favor do movimento Fora Peixoto e, se caso isso ocorresse, quem assumiria a Prefeitura, o vice prefeito? Questionou.
Disse não ser contra o movimento, pois vivemos num país democrático, mas é preciso que seja embaso em denúncias documentadas.
Joanilson alertou sobre a situação do Hospital, sobre os médicos plantonistas, que saem para o almoço e só voltam quando as enfermeiras ligam.

– O vereador Francisco Rosquilde falou que não é novidade que Itacoatiara é uma cidade independente, pois, quando algo não está bem, a população vai para as ruas. Ele lembrou que participou de todos os movimentos populares, citando o caso da verba do FUNDEB, dentre outros.
Lembrou que foi ele quem pediu a demissão do Secretário de Saúde, Brás.
Rosquilde disse que não esquece as suas origens, que é e sempre será crítico, porque quer que as coisas deiam certo, pois assim será bom para a população.
Lamentou que, hoje, o prefeito Peixoto esteja rodeado por uma espécie de cerca de jurubeba, que impede que as pessoas tenham acesso a ele.
Disse que é favorável ao movimento, porém, seus líderes devem apresentar argumentos e documentos plausíveis e consistentes.

– O vereador Ney Nobre falou que tem convicção daquilo que diz e as vezes é criticado por ser sincero e prático. Explicou que não está na Câmara para ser contra ou a favor, mas, para defender o povo. Disse que esse Movimento não pode colocar a Câmara contra o Povo ou o Prefeito e nem acusar o Poder Legislativo de não fazer nada. Porque, não é verdade, quando diz que a Câmara não fiscaliza, pois, os vereadores fazem as críticas e também vão buscar as soluções.
Ney lembrou que Itacoatiara sofre com a crise também porque, tivemos troca no Governo do Estado e no Governo Federal. Adiantou que se houver algo a ser investigado, que será investigado e julgado.

– O vereador A. I. Netto disse que para que seja feita uma acusação é preciso saber os trâmites legais e lamentou que o senhor Rodrigo Rodrigues tenha dito que a Câmara não se manifesta. Netto disse que isso é falta de informação, pois os vereadores estiveram com todos os três últimos governadores, buscando soluções para os problemas de Itacoatiara. Lembrou que a Câmara sempre esteve aberta para os debates com o povo, tanto que havia aberto as portas para que ele, Rodrigo Rodrigues, pudesse se manifestar.
Netto falou do assunto da verba do FUNDEB e lembrou que foi ele quem passou para os professores, os documentos como extrato bancário e outras informações a respeito do assunto. Depois elencou outros feitos da Câmara e mais uma vez disse que o senhor Rodrigo Rodrigues foi infeliz, em dizer que o Legislativo Municipal é omisso. Finalizou falando que para subir na tribuna tem que ter competência, informação e voto.

– O vereador Gutemberg Brito começou seu discurso lendo sobre o significado da palavra liberdade. Depois reiterou o que já tem falado em outras oportunidades, de que só vai aplaudir esse ou aquele governador, que realmente fizer algo de concreto por Itacoatiara. Disse que não vai se curvar nem apoiar nenhum candidato ao Governo e, caso o seu partido queira puni-lo, que o faça.
Gutemberg mostrou os vários documentos que comprovam a sua atuação, quanto as cobranças feitas a atual administração municipal e as denúncias apresentadas ao Ministério Público.
Disse que não se pode ir as vias de fato, com aqueles com os quais não concordamos. Ele destacou que o problema de Itacoatiara não é apenas local, mas que tem origem no abandono que vem sofrendo ao longo dos anos, sobretudo pelo Governo do Estado, o que não redime a administração municipal de suas obrigações.
Disse que o prefeito Peixoto precisa ser um bom prefeito, da mesma forma como foi um excelente vereador. Pediu diretamente e também aos presentes, que falem ao prefeito Peixoto que volte a suas origens, que escute o povo, que trabalhe pelo povo e não fique apenas contando histórias.

– O vereador Richardson do Mutirão deu as boas-vindas ao presidente Bosco Rodrigues desejando-lhe muita saúde. Depois, dirigindo-se ao senhor Rodrigo Rodrigues, disse que não foge ao debate e também lamentou que ele tenha dito que a Câmara não se manifesta.
Falou do atendimento no Hospital, que fica lotado porque acaba fazendo aqueles atendimentos que deveriam ser feitos pelas UBS.
Elogiou a administração do Hospital e disse que não faz mais, porque não tem autonomia financeira, que tudo passa pela Secretaria Municipal de Saúde.
Richardson disse que anda pelas ruas e vai para casa como todos os cidadãos. Falou que foi convidado pelos moradores do Bairro para asfaltarem a rua principal, mas não aceitou, porque essa é uma obrigação do Poder Executivo.
Disse que vai buscar explicações sobre o não pagamento do PIS/PASEP dos funcionários do município.

Clique para exibir o slide.Fonte: CMI -> http://cmi.am.gov.br/resumo-da-sessao-do-dia-06-de-agosto-de-2018/

Mostre mais

Deixe seu Comentário

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios