Comerciantes de Parintins projetam faturamento maior durante Festival em 2018

Aos poucos, a Ilha Tupinambarana vai entrando no clima do Festival Folclórico. Na hotelaria, por exemplo, já tem estabelecimento sem vagas (Foto: Euzivaldo Queiroz)

O carroceiro Lauriano Nogueira Andrade, 60, conduz mansamente sua carroça pela rua Amazonas, uma das principais de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus). A imagem reflete a calmaria da Ilha Tupinambarana a duas semanas do 53° Festival Folclórico, mas que lentamente vai se transformando.

Lauriano trabalha há 32 anos transportando mercadorias como tijolo, seixo e areia pelas ruas da cidade. Morador do bairro de São José – e torcedor do Boi Garantido -, ele disse que a cidade ainda está começando a se movimentar”. “Já tem um bocado de gente, mas ainda está devagar. Ainda não está no ritmo e as ruas estão calmas”, comentou ele.

Para o carroceiro, só a partir do dia 27 a cidade começará a ‘esquentar’. Nesse momento será a hora de recolher a carroça e seu cavalo por conta do trânsito que vai mudar e do inchaço provocado pelo aumento de veículos rodando no município. “A partir desse dia a gente não pode mais passar por alguns locais e não saímos mais para rua. O trânsito fica fechado, perigoso”, afirmou.

Expectativa otimista

Lázaro Machado, 58, é artesão há 35 anos e há 20 faz bois de isopor, espuma e lycra que vende no Artesanato Muiraquitã, localizado na rua Cordovil, no Centro de Parintins. Segundo ele, a cidade ainda está calma. “Mas o movimento prevê que seja mais forte este ano e em relação aos anteriores. A Copa do Mundo não vai atrapalhar o Festival”, destacou.

O artesão aposta neste Festival e quando chegar próximo ao evento, ele pretende contratar mais pessoas para ajudar nas vendas. Atualmente, ele comanda quatro pessoas e vai contratar mais quatro nos próximos dias. “Esse ano vai ser bom, melhor que ano passado. Queremos dobrar o faturamento”, sinalizou ele.

Há 15 anos como motorista, Sidney Pires, 40, afirma que o trânsito também está aumentando, aos poucos: “O movimento está tímido, mas é maior que ano passado. Esperamos que a população de Manaus e de outros locais compareça. Vai dar mais público que ano passado”. O motorista também lembrou que é preciso ter cautela e respeito no trânsito para evitar acidentes.

Natural de Eirunepé, o lojista Nildomar Pereira Lima, 54, é dono da tradicional Foto Sonora, na rua Amazonas, diz que, por enquanto, a calmaria na cidade só está sendo quebrada por conta dos jogos da Copa do Mundo”. “Mas os turistas já estão chegando e as vendas começam a aquecer. No final de semana que antecede o Festival, as pessoas começam a chegar de barco por exemplo, e dá uma alavancada de 200%”.

Hotelaria está a todo vapor

Os proprietários de hotéis e pousadas não têm do que reclamar: o movimento hoteleiro já é sucesso. É o que diz Aldo Lucas, gerente do Hotel e Mercadinho Siridó, na rua Benjamin da Silva, no Centro. “Todos os nossos quartos estão alugados e não há mais vagas disponíveis”. Os pacotes estavam sendo vendidos entre R$ 800 a R$ 1000 para até 4 pessoas por acomodação.

Sócia-proprietária do Bar do Joel, a gerente Maria Assunção, 35, espera que as vendas de bebidas e outros produtos deslanc hem nos próximos dias. “O movimento ainda está fraco. Mas acredito que neste ano as coisas vão melhorar. O movimento tem ficado melhor por conta da Copa do Mundo e não apenas nos jogos do Brasil. Mas na época do Festival, o movimento triplica com a chegada do pessoal de fora que vem para prestigiar a festa, passear, gastar”, explica ela.

100 mil vistantes são esperados para o espetáculo

Segundo a Prefeitura de Parintins, a expectativa de público para esse ano no período do 53° Festival Folclórico da Ilha Tupinambarana é de 100 mil visitantes. Até essa semana mais de 90 hotéis e pousadas da cidade já estavam totalmente lotados para o período do evento. Estima-se que a festa vai movimentar aproximadamente R$ 80 milhões.

Bumbódromo recebe obras de recuperação

Se por um lado existe calmaria entre os ilhéus parintinenses, não se pode dizer o mesmo do Centro de Convenções do Amazonas, o tradicional Bumbódromo que recebe a disputa entre os bumbás Caprichoso e Garantido durante três dias.

É que a estrutura do local, que nesta temporada completa 30 anos de fundação, virou um imenso canteiro de obras com ações por todos os lados iniciadas durante a semana e visando a apresentação dos bois.

Considerado um dos maiores templos da expressão folclórica do Amazonas, o Bumbódromo, construído pelo governador Amazonino Mendes (PDT) em seu primeiro mandato (1987-1990), recebe este ano um investimento no valor de R$ 3,5 milhões por iniciativa do próprio gestor, que esteve na última sexta-feira em Parintins acompanhando as obras.

Os serviços no Bumbódromo incluem a recuperação da estrutura com serviços de revisão das instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias, pintura, reforma do piso, demolições, como dos camarotes de arena para construção de outros novos, e o reforço na estrutura das arquibancadas dos bumbás.

Festa dos bumbás

O 53º Festival Folclórico de Parintins acontece entre os dias 29 e 30 de junho e 1º de julho. Estado ano, o Governo do Estado destinou recurso da ordem de R$ 2,5 milhões para os bumbás Garantido e Caprichoso.

Paulo André Nunes/acrítica.com

https://www.ojornaldailha.com/comerciantes-de-parintins-projetam-faturamento-maior-durante-festival-em-2018/

Mostre mais

Deixe seu Comentário

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios