Transportes hidroviários no Amazonas – por José Teixeira Neto

0
58

Apesar da extrema importância da navegação no funcionamento do Estado do Amazonas observa-se que essa modalidade de transportes não consegue executar seus objetivos em função da ausência dos fatores mais básicos.

Os portos possuem acessibidade urbana ruim e não possuem infraestrutura de operação eficiente (exceção de alguns TUPs). As hidrovias não são sinalizadas, não são dragadas e o controle de trafego é restrito a navegações estruturada e instrumentada. A prestação de serviços das empresas de navegação não são fiscalizadas. As informações disponíveis sobre a navegação desatualizadas, não são confiáveis e não representam a navegação do estados.

Transportes de cargas – Foto: divulgação Sindarma.

A ausência desses fatores impactam no aumento do preço das mercadorias, nos roubos (ratos d agua) de carga, nos acidentes náuticos, na perdes de produção regional e etc. No geral, esses problemas são reflexo da ausência de planejamento e monitoramento da navegação do Estado e para minimizar o efeito negativo é necessários inseri a navegação em uma política, cobrando a qualidade, a segurança e a responsabilidade das instituições públicas e privadas no comprimento dos seus objetivos.

Rios do Amazonas

A navegação é o mais importe meio de escoamento de pessoas e de mercadorias do Estado do Amazonas e é formado por diversas alternativas como: Barco motor, Lancha expresso, balsas de carga geral, Navios mercantes de longo curso e de cabotagem.

As alternativas de navegação desempenham um importante e especifico papel nos diferentes contextos social, econômico e ambiental de cenários como o escoamento da produção do Polo Industrial, dos combustíveis, dos grãos, do abastecimento dos supermercados, do serviço de turismo, da produção regional (farinha, açaí, peixe e etc.) e do deslocamento de pessoas.

Para cada alternativa e cenário a navegação demanda da integração de um conjunto de fatores, que são: Portos, Hidrovias, embarcações e informações. Os fatores devem garantir a qualidade, a segurança e a confiabilidade do serviço oferecido a sociedade.

*José TEIXEIRA Neto é pesquisador do Centro de Referência em Logística e Transporte Aquaviário do Estado Amazonas – Universidade Federal do Amazonas – UFAM, Instituto de Pesquisa em Transportes – INTRA, Diretor de Pesquisa – https://www.facebook.com/redesinavega

Comentários

comentários

https://correiodaamazonia.com/transportes-hidroviarios-no-amazonas-por-jose-teixeira-neto/

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta