Manaus – Ao contrário do comércio e da indústria, o setor de serviços no Amazonas apresenta queda de -0,6% nos dois primeiros meses do ano e acompanha o desempenho nacional de baixa atividade. De acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em fevereiro, a retração foi de 1,6% em relação a janeiro.

Setor de serviços no Amazonas tem fraca atividade (Foto: Sandro Pereira)

Já a receita nominal teve queda ainda maior (-4,2%) frente a janeiro. Segundo a pesquisa do IBGE, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o percentual foi de -1,8%. O desempenho negativo da atividade, em fevereiro, deixou o acumulado no ano em -0,6%. Já o acumulado dos últimos 12 meses na receita nominal de serviços, está positivo em 4,6%.

No País, o setor ainda opera 12,6% abaixo do pico de atividade registrado em novembro de 2014 e o patamar atual está apenas 1,0% acima do ponto mais baixo da série, que foi alcançado em março de 2017, conforme o IBGE.

“Os serviços estão muito mais próximos do ponto mais baixo da série do que do ponto mais alto. Não está mais no nível mais baixo, mas não mostra sinais claros de recuperação”, apontou Rodrigo Lobo, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

Com as oscilações na série com ajuste sazonal nos últimos meses, o volume de serviços prestados voltou ao patamar de outubro de 2017. A ligeira alta de 0,1% registrada em fevereiro ante janeiro foi avaliada pelo IBGE como estabilidade.

O volume de serviços prestados acentuou o ritmo de queda em fevereiro ante fevereiro de 2017, com recuo de 2,2%, ante uma redução de 1,5% em janeiro.

http://d24am.com/economia/setor-de-servicos-no-amazonas-tem-fraca-atividade/

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta