Manaus – Em meio à crise e sem saber o que é vencer nesta temporada, o Nacional encara a Ponte Preta-SP, pela primeira fase da Copa do Brasil. O duelo acontece às 17h15 (de Manaus), na Arena da Amazônia, e será transmitida pelo canal fechado Fox Sports. O duelo marca a reestreia de Arthur Bernardes no comando do Leão da Vila Municipal. O treinador foi contratado, no último domingo, após Sinomar Naves pedir demissão.

O Nacional encara a Ponte Preta-SP, pela primeira fase da Copa do Brasil. (Foto: Divulgação)

As duas primeiras rodadas da Copa do Brasil são decididas em jogos únicos. Por isso, como é o mandante do confronto, o Nacional precisa vencer para avançar de fase. A Ponte Preta entra em campo com a vantagem do empate.

Ainda em 2017, o presidente do Naça, Roberto Peggy anunciou que Arthur Bernardes seguiria no comando do Leão para este ano. Porém, surpreendendo a todos, nos primeiros dias de 2018, a diretoria azulina informou o desligamento de Bernardes e rapidamente anunciou a volta de Sinomar Naves. Todavia, o treinador paraense não teve o mesmo sucesso de sua primeira passagem pelo Leão, quando foi campeão amazonense, em 2014.

Em menos de duas horas, a diretoria do Nacional informou o acerto com Arthur Bernardes, que realizou um único trabalho na manhã de ontem. Questionado sobre o desafio que tem pela frente no Leão, o treinador afirmou que o projeto deve ser focado no restante da temporada e não somente no duelo da Copa do Brasil. “Na realidade, o nosso alvo não é a Ponte Preta. A Copa do Brasil é o resultado de um trabalho que fizemos em 2017. No alvo maior é classificar o Nacional para o ano que vem, quando daremos continuidade no trabalho. A Copa do Brasil está dentro do contexto, mas nosso alvo é o Campeonato Brasileiro. Não podemos sonhar muito com a Copa do Brasil”, disse o treinador, que ainda frisou que a competição nacional não e prioridade do Nacional.

“A Copa do Brasil tem que estar em segundo plano. O primeiro é reverter o momento psicológico. Temos que trabalhar muito para colocar outra equipe em campo. Vou analisar os jogadores que temos aqui. Vou conversar com a diretoria sobre a possibilidade de trazer alguns jogadores. Fatalmente, isso irá acontecer. Vamos usar a Ponte Preta como um degrau para o Campeonato Amazonense. Se nos passarmos de fase vai ser um presente de Deus”, concluiu Bernardes.

O treinador deixou claro não conhecer muito o elenco do Nacional. Por isso, irá apostar em jogadores com quem já trabalhou, como os meias Alexsandro e Paulo Roberto. No ataque, a dúvida é se entra com Danilo Galvão ou Willian Amorim. Todavia, na defesa, o Bernardes foi sincero ao dizer não saber quem escalar.

“Fiz um treinamento com uma ideia que tenho. Não sei se é a melhor, mas não é a mesma equipe. Também não posso inventar muito. Não conheço os atletas. Tenho o Danilo (Galvão) e o Willian. São dois atacantes. Pode ser que comece com um deles. Na defesa, vamos ter que aguardar um pouco. Pode ser que eu mexa em alguma coisa”, concluiu o treinador.

Para entrar no clima da partida, a Ponte Preta realizou o último treinamento na tarde de ontem, no Estádio Carlos Zamith, localizado no Coroado, zona leste de Manaus. Sem dar muitas pistas, o técnico Eduardo Baptista comandou uma atividade em campo reduzido.

O post Nacional encara a Ponte Preta, na Arena apareceu primeiro em D24am.

http://d24am.com/esportes/nacional-encara-ponte-preta-na-arena/

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta