Momento – Por Max Diniz Cruzeiro

0
46

Momento é um instante presente vivido no qual se subjetiva e gera uma significação para uma ação que esteja sendo desencadeada no ato, em sua realização.

O momento reflete a um significado, de algo que se contextualiza para significar algo relevante para um sujeito.

É, portanto, o registro de algo que é relevante, ou que gerou interesse o seu percorrer na brevidade de uma ação.
O momento é a razão que fez sentido e que pode ter deslocado descargas de energia na forma de sentimento para represar o instante que teve bastante sentido para uma pessoa.

É um tipo de vivenciar no ato que a pessoa percorre toda uma extensão de uma história para fins de registro. Numa espécie de um identificar que existe um prazer inscrito.

Porém quando a sensação transporta uma experiência negativa ou traumática, parece que o momento é dotado de uma temporalidade interminável, porque a elevação do sofrimento ou dor psíquica prende o indivíduo dentro de uma rotina em que cada milésimo de segundo é vivenciado.

Esse prazer que se consome dentro do momento dá uma sensação de volúpia muito intensa, e acaba por tranquilizar o indivíduo e fazer com que ele percorra sua história de vida dentro de princípios homeostáticos.

Porém quando desta relação do momento se observa o instalar de uma angústia que não tem fim para se consumir, o interminável, faz o indivíduo percorrer uma história de vida em que a falta de equilíbrio homeostático é a tônica do desenvolvimento cerebral.

Então momento pode ser concebido como um intervalo de classe por onde a ação está no exato instante sendo percorrida, e seu registro é um retrato de um segmento temporal.

Pode-se dizer que momento é um instanciamento dentro de um fenômeno de localidade que no momento seguinte ocorre uma deformação devido o movimento em que uma ação ou massa de dados se situa dentro de um espaço territorial.

Neuro cirurgião Max Diniz Cruzeiro (DF)

Por ser retrato de um segmento de tempo, ela represa um passado vivido em toda sua extensão num dado instante. E que preserva o tipo de fenômeno que fora desencadeado numa secção temporal para se tornar um fato histórico, semântico ou cognitivo.

Também um momento pode ser uma pontuação, ou seja, um conceito, quando todo o contexto do fenômeno que fora abordado, se resume a um soma, que é a integral de uma conceituação mais ampla capaz de sintetizar todas as relações da coisa, numa nomeação em que torna o vínculo com o instanciamento passível de ser resumido e ser percorrido em toda sua extensão dentro do segmento ou intervalo de tempo.

Momento pode ser transladado para outras ciências, como a matemática, estatística, história, geografia, química, física, biologia, antropologia, medicina visualizada como fases de uma transformação em que diferentes percepções afloram de acordo com a diagonalização em que um fenômeno percorre por múltiplas dimensões.

Como na medicina, o primeiro momento pode ser um efeito direto que um corte sob a superfície da pele possa provocar em torno de um processo de síntese sanguínea. O segundo momento, deste nosso exemplo, vir a ser uma componente em que o avanço da sangria possa provocar um efeito de coagulação do sangue. O terceiro momento pode ser um efeito sobre as variáveis endotérmicas que o efeito da sangria possa despertar sob o organismo humano, …

Então um momento pode ser percebido como uma perspectiva que é influenciada a partir de uma análise de uma das dimensões de um modelo de observação que esteja incorporado dentro de um fenômeno.

Momentos podem ser fusionados a fim de construir uma história represada de um segmento de tempo. Assim, um professor que esteja ensinando um aluno o hábito da leitura, se represar vários momentos do processo de aprendizado, poderá ter a impressão definitiva se o aluno está avançando em grau de entendimento sobre a tarefa de intelecção da mensagem escrita em um texto.

A integral de momentos leva a uma integração de um significado e a geração de um signo que o represente, dentro de uma lógica semântica de existência do tridimensional.

Momentos visto de uma forma fracionada ou isolada remete a um estado em que uma dimensão se apresenta em termos de formação de informação e representação de dados que permita um observador medir o comportamento de uma variável estudada. Quando o tempo atua de forma lenta sobre uma massa de dados, o momento é representativo por vários períodos, porque o retrato ou a fotografia que se forma da dinâmica física que interfere e molda uma massa de dados, é capaz de se sustentar dentro de uma parcela de temporal por muito tempo. Isto gera representatividade para um signo que representa a fusão de um conceito. No caso da formação linguística geralmente numa língua bem disseminada este efeito temporal de manutenção do idioma é bastante lento, tornando a percepção de que a construção da subjetividade carrega conceitualmente elementos estáticos que não se alteram pela lógica do tempo.

Porém para eventos que transformam, como por exemplo a vida de uma colônia de bactérias que pode ser visualizada dentro de poucas horas de atividade para que uma nova colônia seja repovoada por intermédio de fatores de reprodução possa sintetizar a necessidade de momentos diferenciados devido aos fatores de evolução (Fases de fenômenos diferentes devido à dificuldade de formação de um retrato dentro da mesma população).

Fraternalmente,

Max Diniz Cruzeiro
LenderBook Company
www.lenderbook.com

Comentários

comentários

https://correiodaamazonia.com/momento-por-max-diniz-cruzeiro/

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta