As três primeiras curvas do GP do México, neste domingo, no Autódromo Hermanos Rodríguez, na Cidade do México, decidiram o Mundial de Pilotos da Fórmula 1 com duas provas de antecipação. A conquista do tetracampeonato do inglês Lewis Hamilton só foi confirmada cerca de duas horas depois, com a nona colocação ao final da corrida, mas os primeiros momentos da prova foram decisivos. O alemão Sebastian Vettel, o seu concorrente ao título, terminou em quarto lugar e a vitória foi do holandês Max Verstappen, da Red Bull.

(Foto: Reprodução/Twitter/Lewis Hamilton)

Os três foram os protagonistas das três decisivas primeiras curvas da corrida. Vettel largou na pole, Verstappen saiu em segundo, na parte suja da pista, e Hamilton em terceiro. Em uma disputa ferrenha pela liderança, o alemão da Ferrari tocou de lado na Red Bull do holandês e teve parte da asa dianteira danificada. Na curva três, Hamilton veio por fora e tentou ultrapassar os dois. Vettel não teve como evitar e tocou o resto de sua asa no pneu traseiro direito da Mercedes do inglês.

O saldo disso tudo: Verstappen tranquilo em primeiro, os finlandeses Valtteri Bottas e Kimi Raikkonen em segundo e terceiro, respectivamente, e Hamilton e Vettel ficando para trás e tendo de ir aos boxes por causa dos problemas em seus carros. O alemão voltou em 19.º e o inglês em 20.º. O prejuízo foi todo para o piloto da Ferrari. Era preciso chegar em primeiro ou segundo para ter alguma chance de adiar a conquista antecipada do rival.

A partir daí, a missão de Vettel era recuperar o que fosse possível na prova. Com pneus mais duros, o alemão foi se recuperando, mas a tarefa era árdua. Hamilton, com o mesmo tipo de pneu do rival, enfrentava problemas em sua Mercedes e não conseguia passar da 19.ª colocação, tendo dificuldades para ultrapassar até os carros mais lentos da Fórmula 1. O curioso é que na 22.ª volta Hamilton levou uma bandeira azul, por ser retardatário, para deixar Verstappen ultrapassá-lo.

Na 25.ª volta, Vettel já era o 12.º. Na 30.ª, estava em oitavo, mas a distância para as primeiras colocações era de mais de 1 minuto. Na 33.ª volta, o neozelandês Brendon Hartley, da Toro Rosso, abandonou a prova e provocou um “safety car” virtual. Hamilton e Vettel aproveitaram para trocar os pneus e voltaram com ultramacios, na busca por melhores posições. Na frente, Verstappen, Bottas e Raikkonen, posições que se mantiveram até o final.

Com mais estabilidade em sua Mercedes, Hamilton pode, enfim, ganhar mais posições e foi se aproximando da zona de pontuação. Vettel seguia na sua missão quase impossível e o máximo que conseguiu foi a quarta colocação. Nas últimas voltas, o inglês estava em 10.º e tinha na sua frente o espanhol Fernando Alonso, da McLaren. Seu velho rival não facilitou a ultrapassagem e os dois protagonizaram uma bela disputa até Hamilton passá-lo e depois poder comemorar o título com o nono lugar no GP do México

Com duas corridas para o final da temporada de 2017 – Brasil e Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos -, Lewis Hamilton se sagrou campeão por ter 56 pontos a mais que Sebastian Vettel (333 a 277). Valtteri Bottas está no encalço do alemão com 262. Com a vitória no México, Max Verstappen chegou a 148 pontos e está na sexta colocação.

Com mais uma grande temporada, Lewis Hamilton entra no clube dos grandes campeões da história da Fórmula 1. O mais novo tetra da categoria ultrapassou os brasileiros Ayrton Senna, o seu ídolo, e Nelson Piquet, se iguala ao francês Alain Prost e ao próprio Vettel em número de títulos. Fica atrás somente do argentino Juan Manuel Fangio, dono de cinco troféus, e do recordista Michael Schumacher, campeão sete vezes do Mundial de Pilotos. É também o britânico mais vitorioso da categoria.

O post Hamilton chega em nono no México, mas é tetracampeão na Fórmula 1 apareceu primeiro em D24am.

http://d24am.com/esportes/hamilton-chega-em-nono-no-mexico-mas-e-tetracampeao-na-formula-1/

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta