Funai: não há provas de massacre indígena

0
114

Manaus – A Fundação Nacional do Índio (Funai) informou que não foi encontrada prova material que comprove o massacre de povos indígenas isolados que habitam a região do Rio Jandiatuba, na terra indígena Vale do Javari, no extremo oeste do Amazonas. A autarquia federal emitiu a declaração, ontem, por meio de nota. A denúncia da fundação, sobre as mortes, foi apresentada depois que alguns garimpeiros foram vistos falando sobre o ataque na região. O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM) e a Polícia Federal (PF) investigam a denúncia.

Operação para combater ao garimpo ilegal foi realizada no fim do último mês de agosto. Foto: Divulgação/Ibama

Conforme a Funai, os garimpeiros foram vistos, em São Paulo de Olivença (a 985 quilômetros a oeste de Manaus), falando sobre a matança. A autarquia informou que garimpeiros foram presos e levados a Tabatinga (a 1.108 quilômetros a oeste de Manaus) para prestar depoimento, cumprindo mandado de busca e apreensão. No entanto, de acordo com a Funai, os garimpeiros não confirmaram as mortes e ainda não foi encontrada nenhuma prova material que comprove o massacre, “não sendo possível, portanto, confirmar a veracidade das mortes”, informou a nota da fundação.

Após a informação de que os garimpeiros tinham sido vistos comentando sobre os crimes, de acordo com a Funai, servidores da autarquia fizeram o primeiro levantamento e entenderam ser necessário apresentar a denúncia. A área investigada está localizada próximo aos rios Jandiatuba e Jutaí, perto da fronteira com o Peru. A Funai informou que são necessárias 12 horas de viagem de barco, nesse período de seca na Amazônia, para chegar ao local.

Por meio de assessoria de imprensa, o MPF, na tarde de ontem, informou que investiga a denúncia das mortes dos indígenas isolados. Conforme o procurador da República Pablo Luz de Beltrand, o órgão, em Tabatinga, iniciou as investigações, após receber a denúncia da Funai. “Instauramos um procedimento para apurar o caso e há diligências em curso, mas não é possível dar detalhes para não prejudicar a investigação”, afirmou, por meio de assessoria de imprensa do MPF.

Garimpo ilegal

A Funai informou que denunciou a existência de garimpo ilegal na região que, conforme as denúncias, gera violência, prostituição infantil, ameaças e homicídios. A denúncia também partiu de moradores da região, segundo a autarquia.

A fundação informou, também, que foi realizada, em São Paulo de Olivença, uma operação de combate ao garimpo ilegal, no fim do último mês de agosto, que resultou na destruição de quatro dragas e aplicação de multa de mais de R$ 1 milhão para seis garimpeiros por crime ambiental. A ação foi realizada com o apoio do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Exército Brasileiro.

http://d24am.com/amazonia/funai-nao-ha-provas-de-massacre-indigena/

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta