Estrutura quebrada – Por Max Diniz Cruzeiro

0
58

Uma estrutura quebrada é um “objeto” que não consegue mais se manter em termos de integridade que o permita exercer toda sua funcionalidade conforme o desenvolvimento orgânico pelo qual fora projetado.

Uma estrutura é como se fosse uma coluna do objeto ao qual orienta o sentido do desenvolvimento e a manutenção das partes. Quando esta base colunar não está em pleno funcionamento, algumas funcionalidades deixam de serem desenvolvidas e desencadeadas sobre o habitat.

Uma estrutura quebrada reflete também uma quebra de funcionalidade em que um ou mais princípios de adaptação devem ser organizados para que o indivíduo continue a trabalhar com o objeto onde a disfuncionalidade se tornou evidente.

Algumas vezes os danos estruturais a um organismo biológico podem ser consertados a partir de aplicação de processos corretivos, outras vezes os danos são irreparáveis.

A quebra da estrutura no nível celular pode gerar uma série de complicadores pois processos deixam de ser sintetizados no decorrer dos desdobramentos vitais de um indivíduo.

Por outro lado, quando por exemplo a estrutura que está quebrada é o acúmulo de cálcio dentro do organismo, e isto pode representar uma fragilidade para o tecido ósseo que não passará mais a corresponder a absorção para a regeneração de seu tecido conjuntivo.

Quando a quebra da estrutura se dá no nível psíquico pode ser que uma elevação ou diminuição dos fatores de produção de neuromediadores e neurotransmissores possam acarretar num desequilíbrio funcional sobre todo o corpo, uma vez que o cérebro é a peça fundamental para coordenar todos os outros processos de um organismo vivo.

Uma quebra em uma estrutura pode vir também dos processos de aquisição da memória, onde elementos antes associados deixam de serem vistos novamente como conjugados e passam a fazer parte de novos aspectos de elição.

Uma estrutura do ponto de vista Freudiano quando quebrada pode representar uma disfuncionalidade de um modelo de processamento básico de um indivíduo, seja ele: neurótico, psicótico ou perverso. E passar a representar uma ruptura de paradigma quando os processos de absorção e expressão de um indivíduo.

O mesmo efeito de estrutura quebrada pode ser percebido também em vários contextos de expressão, como por exemplo a escrita por intermédio da literatura, onde fragmentos de textos são omitidos pelos escritores a fim de que o indivíduo tenha a sua própria experiência de identificar o tipo de proposição contextual que está sendo sugestionado para um leitor (Silepse).

Neuro cirurgião Max Diniz Cruzeiro (DF)

Quando a construção de um edifício não está suficientemente sólida, é sinal de tudo que se mantém sobre sua base pode de uma hora para outra passar por um abalo em sua estrutura que poderá repercutir de forma negativa na forma de rachaduras, ou até mesmo microabalos em que a obra poderá sofrer efeitos erosivos e vir a se desintegrar em virtude de suas imperfeições.

Quando o elemento-conceito é novamente incorporado em uma estrutura a funcionalidade passa a fluir conforme sua determinação organizacional.

Porém um grande problema é como resolver uma estrutura quebrada a partir de uma infinidade de estruturas que demandam modelos diferenciados de interação que devem ser resolvidos a fim de que a funcionalidade padrão ou modal possa ser ativada para o bem de uma espécie.

Uma estrutura pode ser visualizada a partir de um eixo essencial e principal que se ramifica, em uma alegoria a um sistema arbóreo, em treliças que permitem balancear a base principal de um organismo. Geralmente uma estrutura se condiciona a influência e a afetação de fontes de energia, e este fator ou princípio externo deve também ser levado em consideração uma vez que é determinante para sintetizar um tempo de atividade em que o organismo irá se estruturar diante do ambiental.

Quando um componente de uma estrutura não está em pleno funcionamento, toda a estrutura deixa de corresponder a sua necessidade funcional. E a sobrecarga de atividade de um ponto deste circuito pode levar a ruína ou ao estresse de toda a rede de armações e fazer com que o todo seja comprometido.

Cada elemento em uma estrutura exige uma medida de compensação e descompensação em outra parte, a fim de romper o excedente e/ou a falta de atividades assessórias ou pontuais em determinável nível sistêmico.

Quando uma peça de uma estrutura é excedente, o complexo e o conjunto podem sofrer uma sobrecarga de atividades, o que também pode contribuir para quebrar a estrutura e comprometer a sua funcionalidade.

Corrigir uma peça defeituosa em um “objeto” nem sempre é uma tarefa muito fácil, porque requer habilidade de preservação do que já está contido, operante e funcional e migrar para o organismo aquilo que deve ser integrado, funcional e reativo. A fim de despertar a mecanicidade da implementação sobre o todo orgânico e holístico a fim de dotá-lo de homeostase.

A estrutura é a base de toda instituição no qual as tarefas são delineadas e delimitadas para que os players possam corresponder as necessidades organizacionais de uma instituição. Também, galáxias se organizam como estruturas que estão conectadas umas às outras, para que haja um certo grau de harmonia dos corpos estelares no universo.

A estrutura também pode ser vista como um modelo de comportamento no qual os indivíduos passam a se interagir de seus propósitos e aptidões singulares para objetivos coletivizados, no qual seja possível perceber uma estrutura organizacional como uma dinâmica social e de fluxos de movimentação e consumo social e que se quebrada passa a colaborar par fatores de desintegração social.

Fraternalmente,

Max Diniz Cruzeiro
LenderBook Company
www.lenderbook.com

Comentários

comentários

https://correiodaamazonia.com/estrutura-quebrada-por-max-diniz-cruzeiro/

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta