Em ritmo de fuga

0
158

Em ritmo de fuga Hilda Lopes Pontes | 25 de julho de 2017 | 0 comentários Compartilhar no Facebook

O cineasta Edgar Wright se estabeleceu no mercado hollywoodiano com obras sólidas e com um estilo marcante. Filmes como Chumbo Grosso (2007) e Scott Pilgrim (2010), trouxeram a marca do realizador que mescla um visual pouco conservador, cheio de um humor irônico e polido e um cuidado técnico com montagens e design de som bem pensados e executados. Em ritmo de fuga, seu mais novo longa, seja talvez um amadurecimento da linguagem de Wright posta nas telas.

A montagem, sempre um quesito muito bem alinhado nos filmes de Wright, tem pouco do ritmo entrecortado de seus outros filmes. O saque do diretor e de seu montador está justamente no fato de que as cenas de perseguição já possuem adrenalina e dinamismo o suficiente. O que enriquece a montagem do longa é como a mesma casa com design de som, com os movimentos dos atores e com a banda sonora. São gestos que se conectam por raccords de movimento, seguindo um fluxo com a batida da música, dando organicidade e verossimilhança para tomadas de ação.

O dom de Baby (Ansel Elgort, Culpa das Estrelas) é destacado pois o espectador escuta sempre o mesmo que o protagonista. Se ele está ouvindo música o público também, do contrário, quando Baby tira os fones de ouvido, ouve-se o zumbido que a personagem tem no ouvido. Baby sofreu um acidente de carros com os pais quando pequeno e o zumbido foi a consequência. Essa ligação entre o que a plateia escuta e o que ele ouve pode auxiliar na criação de empatia, trazendo a audiência para mais perto da trama.

O filme mostra uma consciência das escolhas estéticas e narrativas, trazendo um mise en scène praticamente coreografado. O primeiro plano sequência, mostra o cotidiano do protagonista, e a cidade atrás dele é viva e segue também no ritmo dinâmico que a personagem tem dentro de si. Em alguns momentos, Baby exagera um pouco e entra numa energia quase musical, como se fosse cantar e dançar com todos os figurantes, quebrando a atmosfera do longa, mas, não chega a comprometer de maneira abrupta. Ainda assim, é irreal, artificial.

As personagens são bem construídas, com personalidades bem definidas. A tridimensionalidade não é somente um privilégio do protagonista, todos os componentes da gangue, que possuem pensamentos diferentes uns dos outros, sem se amontoar em clichês de bandidos, Débora ( a mocinha do filme), que demonstra uma fortaleza e uma fragilidade em seu cotidiano sem graça trabalhando num café, o pai adotivo de Baby, um senhor mudo, mas que demonstra todo o caráter da educação que deu ao filho. Todos têm características e histórias de vida traçadas, mesmo que algumas só brevemente. Sem muito diálogos explicativo, o longa aposta em não dar de vez as informações sobre cada um deles, contando aos poucos e mais por imagens do que por falas.

Somente Doc, o líder dos assaltos, tem uma virada na trama que não é bem construída. O chefe de todos os esquemas, é impiedoso com Baby quando ele deseja sair do ramo de roubos, ameaça a todos, manda matar sem pensar duas vezes, mas, no final, tem pena do protagonista somente pelo fato de Baby estar com Debora na hora em que ele pede ajuda para Doc. A única fala que o filme traz para tornar plausível essa reviravolta é: “Eu já amei um dia”. Dá para compreender por alto a razão da ajuda, mas para um homem cruel, envolvido num crime, talvez torne-se muito rasa essa explicação.

Apesar do tom às vezes acima do ponto, quebrando a organicidade fílmica, Em ritmo de fuga é uma obra competente que traz uma renovação para o gênero de ação, misturando a linguagem frenética de Wright com elementos narrativos bem utilizados, um roteiro sem sobras, com diálogos críveis e pouco expositivos. Há uma visão dinâmica e apelativa visualmente, por seus movimentos de câmera, cores e montagem unida ao som, mas sem pesar na mão tentando ser mais do que ele é. Em ritmo de fuga é mais um passo para o amadurecimento da filmografia de Wright e, de fato, um filme que diverte.

Nota: ****

Categoria: Resenhas de Filmes

https://cinemadetalhado.com.br/2017/07/em-ritmo-de-fuga.html

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta