Manaus – Desde janeiro, o projeto social Mario Kids se tornou uma alternativa saudável para as crianças do bairro Japiim, na zona sul de Manaus. Coordenado pelo professor Felipe Cardoso e apoiado pelo lutador de MMA Mario Israel, o trabalho já reúne 30 crianças de 5 a 14 anos, que aprendem jiu-jítsu e as doutrinas das artes marciais.
A iniciativa surgiu em 2014. Praticante da arte suave desde 1997, o inspetor de segurança privada Felipe Cardoso montou a academia apenas para para treinar com os amigos e se manter ativo. Aos poucos, as pessoas começaram a chegar e ele foi obrigado a aumentar o espaço de treinamento. Foi assim que surgiu o projeto.

No início, a academia foi nomeada de Cardoso Team, porém, no inicio deste ano, uma parceria foi fechada com o lutador Mario Israel. Assim, o projeto Mario Kids surgiu. “Meu papel no projeto vai muito além do que um patrocinador ou apoiador. O fato de colaborar no desenvolvimento dessas crianças é a maior motivação na minha jornada. O sentimento de ajudar o próximo é indescritível, enche nosso espírito de paz. Eu sou o maior favorecido nessa história. Projetos como esse são determinantes na vida e na formação das crianças e lembram uma frase que meu pai sempre me disse: ‘Mente vazia é oficina do diabo’. Então é aí onde entramos, oferecendo a pratica da arte suave”, disse o atleta, que está morando nos Estados Unidos.

Satisfação dos professores é ver a evolução das crianças e o crescimento delas como cidadãs (Foto: Thiago Fernando/Divulgação)

Responsável direto pelo dia a dia da academia, Felipe Cardoso explica que, antes de qualquer objetivo, o intuito do Mario Kids é formar cidadãos. Por isso, são cobradas boas notas na escola para participar dos treinamentos. “Antes de treinar, toda criança tem que se filiar à academia. Precisamos que o responsável venha para que possamos conversar com ele sobre a criança. Acompanhamos os boletins escolares todo bimestre. Quando vemos que as notas da criança caíram, chamamos os pais e damos uma afastada dos treinamentos, apesar delas gostarem de treinar. O estudo vem em primeiro lugar”, citou o faixa-preta.

Como outros projetos, o principal desafio do Mario Kids é vencer a barreira financeira. Devido ao custo com quimonos e taxas para campeonatos, algumas crianças não conseguem competir, o que impede o desenvolvimento na modalidade.

“Os campeonatos estão caros e semanais. Alguns pais estão desempregados. Corremos atrás, fazemos rifas e feijoadas para ajudar. Alguns amigos doam R$ 10 ou R$ 20 para pagar, pelo menos, duas inscrições. Também tiro do meu bolso. Fazemos o possível para ajudar. Precisamos que as crianças venham com quimonos, porém, muitas chegam sem. Como recebemos doações de amigos, sempre temos alguns quimonos na academia. Nesse caso, emprestamos até o pai comprar”, disse Felipe.

Obstáculos superados com esforço e ajuda dos pais

Apesar desses obstáculos, o professor Felipe Cardoso disse que a satisfação por todo o esforço feito pelas crianças é o combustível do trabalho. “É muito gratificante. Não pensava em ter uma academia. Pensava apenas em treinar. Meu intuito era manter a minha paixão. Quando vejo o crescimento da criança, isso me alegra demais. É bom ver a criança vencendo e ficando emocionada. Acabo ficando emocionado junto com ela. Os pais elogiam muito o nosso trabalho e a dedicação. Tiramos do nosso tempo para fazer treino e ficar o dia todo no campeonato. Vamos até doentes, mas é fundamental ver o crescimento delas e o sucesso nas competições”, comentou. O projeto funciona na Rua Nova Brasília, número 111, no bairro Japiim. Para mais informações, o telefone para contato é (92) 99139-4695.

Projeto supera dificuldades financeiras através de doações, no bairro Japiim, na zona sul de Manaus (Foto: Thiago Fernando/Divulgação)

O post Em menos de sete meses, projeto de jiu-jítsu já reúne 30 crianças apareceu primeiro em D24am.

Fonte: http://d24am.com/esportes/lutas/em-menos-de-sete-meses-projeto-de-jiu-jitsu-ja-reune-30-criancas/

SEM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta