Manaus – Manaus ser referência no futebol feminino brasileiro já virou lugar comum e ganha destaque no exterior. Tanto que, morando há seis anos nos Estados Unidos, a jogadora paulista criada no Amazonas, Eduarda Rojo Pavão, conhecida como Duda, cogita voltar ao Estado para continuar a carreira.

Desde cedo habilidosa, a lateral-direita Duda embarcou para os EUA, aos 15 anos, para tentar realizar o sonho de ser jogadora profissional. E a atleta, que mora em Orlando, chegou à semifinal da liga universitária defendendo as cores da Universidade de Stetson. Aos 22 anos, ela busca seguir carreira no futebol após terminar o período acadêmico e pensa em jogar em uma equipe amazonense.

Morando em Orlando, atleta chegou à semifinal da liga universitária defendendo a Universidade de Stetson (Foto: Arquivo Pessoal)

“Todo mundo que gosta de futebol feminino ficou sabendo que Manaus tem futebol e um público que dá força. Com certeza, Manaus está chamando atenção do mundo. A Marta (atacante da Seleção Brasileira), mesmo nos Estados Unidos, comenta o que está acontecendo e sobre a grande quantidade de torcida”, disse.

Duda relembrou que jogadoras conhecidas no Brasil estão indo defender clubes em Manaus. “Isso é consequência do crescimento. Elas estão preferindo ir para Manaus invés de defender times do Sudeste”, analisou.

Na última semana, o Iranduba e o 3B surpreenderam contratando jogadoras que, constantemente, vestem a camisa da Seleção Brasileira. Pelo lado do Hulk, chegaram a zagueira Renata Costa e a meia Andressinha. Já o time da Aparecida trouxe a goleira Vivi, a zagueira Rilany e a meia Thaisa Moreno.

Duda trabalha no Orlando City e no Orlando Pride, clubes que contam com os craques Kaká e Marta. E apesar de ter se destacado na última temporada, a brasileira explica que o limite de estrangeiros nos times americanos dificulta a vida das atletas que saem das universidades.

“Tivemos uma das melhores temporadas neste ano. Chegamos às semifinais e entramos na história da faculdade. Temos os recordes de jogos vencidos. Agora, estou fazendo o máximo que posso para estar preparada, caso apareça uma oportunidade. Aqui, os clubes podem ter apenas quatro atletas internacionais e escolhem as melhores do mundo, como a Marta”, citou a jogadora.

Com o foco na carreira, Duda revela que chegou a ser procurada por equipes brasileiras e pelo técnico Olavo Dantas. Ela afirmou ter vários convites para jogar o Campeonato Brasileiro e até o Amazonense.

“Mas como o meu visto ainda não venceu, ainda estou esperando terminar para depois voltar. O Olavo Dantas (ex-técnico do Iranduba) me procurou. Estou fora de casa há seis anos por causa do futebol e jogar futebol perto da minha família é um objetivo”, afirmou Duda.

O post Duda sonha deixar EUA para voltar a Manaus por carreira apareceu primeiro em D24am.

http://d24am.com/esportes/duda-sonha-deixar-eua-para-voltar-manaus-por-carreira/

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta